Correios em Greve: medida afeta todo o Brasil | JC Online

Correios em Greve: medida afeta todo o Brasil




Os funcionários dos Correios de todo o Brasil entram em greve por prazo indeterminado a partir da 0h desta segunda-feira (12). A decisão foi tomada no final da semana e, apesar de não haver uma ordem geral, é esperada a adesão de sindicatos de todos os Estados.

As principais motivações para a greve são a falta de novos concursos (lembrando que 20 mil postos de trabalho foram perdidos nos últimos cinco anos); a insistência da empresa para tentar forçar funcionários a aderirem aos planos de demissão voluntária; retirada de direitos e; a possibilidade de privatização dos Correios. Hoje, a assistência bancada pela empresa supera os R$ 12.000 por funcionário e custa R$ 1,8 bilhão por ano.

Segundo informações, os sindicatos afirmam que o corte de funcionários e a falta de atualização dos processos seriam formas de sucatear os Correios para forçar a ideia de privatização. Apesar disso, a assessoria de imprensa dos Correios disse que não existe esse sucateamento e que a "gestão trabalha para recuperar e fortalecer" a empresa. Em nota, a Fentect - Federação Nacional dos Trabalhdores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares - afirma que a estatal vai fechar 2.500 agências próprias. "Todo o desmonte promovido pela gestão dos Correios tende a prejudicar ainda mais os serviços à população", afirmam. 

Vale mencionar também que existe a possibilidade de que não haja uma paralisação de 100% da força de trabalho dos Correios. Na greve anterior a justiça brasileira ordenou que pelo menos 80% do efetivo dos Correios deve ser mantido em operação.